sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Noel e Noemï


O Natal lá de casa tem um quê especial. Além de reunir toda a família
para uma noite de ceia, conversas e troca de presentes cultivamos
um momento que é aguardado por todos: a leitura da Carta de Noel.
Minha irmã Noemi é quem escreve por Noel há vinte e seis anos.
Todos se espalham na sala principal da casa dos meus pais. Rita,
minha outra irmã, cuida da leitura da Carta. Ao redor dos meus pais,
José e Myriam, toda a família se acomoda pelas poltronas, sofás e
almofadas. É o nosso momento mais natalino.

Uma bela constelação de filhos, netos, bisnetos, genros, nora e
agregados. Acomodados e ansiosos em ouvir a Carta de Noel,
percebemos por um momento nosso arranjo familiar e sua
diversidade. É Natal. Com essas palavras Noel começa a se dirigir a
essa constelação iluminando alguns momentos do ano de todos nós.

Relembrando as experiências mais importantes em nossas vidas
Noel nos envolve com sua elegância e humor. Sua mensagem de
Natal narra as pequenas conquistas, os acidentes, as descobertas,
as tristezas, as viagens, os casamentos, as separações, os primeiros
passos, as perdas, a esperança, os medos, os mistérios, as alegrias,
as travessias, as travessuras, as mudanças, as incertezas, as paixões
e os nascimentos.

Não há grande ou pequena história na carta de Noel. As experiências
mais banais revelam-se extraordinárias. As grandes realizações
mostram sua efemeridade. Não há competição. Cada episódio vivido
é relembrado por Noel como único e precioso. Para todos. Assim a
vida dessa família tem sido escrita e preservada a cada Natal. Sentar
num canto da sala para ouvir a Carta de Noel é o presente que mais
aguardo.


7 comentários:

noemi disse...

emocionei

Tere disse...

olá amigo, feliz 2011, bjus tere.;

José Bueno disse...

Olá Tere
Para vc e Samuel também, um FELIZ 2011!!!
Bjs

Biba Arruda Marques disse...

muito legal! ano que vem vou ver se Noel escreve pra minha familia também. Idéia linda. Obrigada pela inspiração. Eu sou a mãe do Miguel, aquele menino que ficou fascinado quando te viu com a venda nos olhos durante seu almoço no natural da fradique.
Daquele momento, gostei muito também. Vou ainda escrever sobre isto la no blog...tem tanta coisa interessante acontecendo que nao tenho dado conta de registrar tudo. Mas saiba que encontra-los aquele dia, foi outra inspiração. Um exemplo fala mais que mil palavras!me conte mais sobre aquele projeto, se for possivel quero ajuda-los, dentro do que estiver ao meu alcance, propagar esta idéia.

Ceila Santos disse...

Que tradição mais linda, posso copiá-la? Acho que vou assumir essa missão no Natal de 2012...

RicardoATB disse...

Olá José Bueno,

Meu nome é Ricardo e fiz uns meses de Aikido em Campinas (Senshin). Parei mas estou pensando em recomeçar com vocês qdo voltar para São Paulo dentro de 1 mês (moro pertinho de vcs, na rua Fernao Dias.) Tb tenho gatos e gosto de pedalar. A gente se vê dentro em breve. Abraços

José Bueno disse...

Olá Ricardo,
gatos, bicicleta, aikido, pinheiros ... muita coisa em comum, né? Te espero no Dojo!
Biba e Ceila, estou naquelas fases silenciosas e nada escrevi neste blog em 2011. Estou aqui para responder em atraso a mensagem de vocês e dizer que logo logo Noel estará de volta. Vou pedir para ele me trazer tempo e energia para continuar a alimentar este blog com boas histórias.
Abraços